Afinal, o que você espera de mim?

Em algum momento da nossa vida quando estamos em um relacionamento disfuncional nos indagamos com essa pergunta. Afinal, o que você espera de mim?

 Vou discorrer sobre o assunto e tentar te mostrar o porque chegamos neste questionamento.

Quando você flerta com aquele cara fisicamente  ele te atrai muito e ambos iniciam uma paquera, um sorriso daqui um elogio de lá. Troca de mensagens, boas gargalhadas. Dizem que nesta fase inicial ela é a mais importante ou até decisória. Por não existir ainda sentimentos envolvidos que dificultam uma decisão de rompimento. 

No decorrer do flerte, quando rola o primeiro beijo, coração acelera, química gostosa. Afinal, minhas investidas deram certos. Entretanto, os objetivos começam a ter divergências e os ideais não correspondem.

Então, você entra num processo de negação ou autosabotagem e pensa: Mas, ele é um cara legal? Se preocupa comigo? Me dá atenção? Me manda mensagens de bom dia? Pergunta como estou?…

“Ah, mas não existem pessoas perfeitas!!”

De fato, não existem mesmo pessoas perfeitas!

 Todavia, objetivos e convicções em comuns são importantes para um bom convívio. As idéias precisam estar alinhadas para que lá na frente não venham ter alguns tipos de cobranças, chateações, decepções ou até perda do tesão. Sim, quando você perde a admiração pelo outro o tesão vai minando junto. Então começam as desculpas e a falta da procura pelo outro na cama.

Tem pessoas que tem dificuldade de expressar seus sentimentos e isso dificulta uma boa comunicação, então começa a entrar naquele famoso joguinho de adivinhação. 

Todos nós temos uma pessoa idealizada (ideal de ego/ego ideal) e automaticamente projetamos no nossos parceiros e consequentemente começamos a cobrar atitudes, posturas, ações e habilidades que aquele homem não tem. E nos frustramos com a falta de sintonia dele. Como se ele tivesse uma bola de cristal para adivinhar nossos pensamentos e desejos.

Impossível…. porque ninguém tem bola de cristal para adivinhar teus pensamentos ou saber o que você quer, sem que você expresse para o outro de uma forma assertiva.

Partindo de uma má comunicação surge às brigas, discussões, indiretas, piadinhas ou a famosa birra ( “ficar de cara feia”).

O outro sem entender nadinha de nada começa a se questionar: Afinal o que ela quer?  O que ela espera de mim?

Estou dando o meu melhor!

E de fato está mesmo, só que ” a química “, não está sendo suficiente para segurar os obstáculos do dia a dia.

Cada um de nós temos anseios individuais, crenças limitantes e culturas diferentes que atrapalham na nossa evolução como seres humanos. 

Todavia, uma casinha de sapê para um é um sonho realizado, para o outro é pouco!

Divergências de ambições é uma das causas de muitas brigas de casais.

É de suma importância alinhar essas expectativas individuais antes do enlace para que as mesmas não sejam a causa de uma separação. 

Psicóloga Edna Glauber especialista em relacionamento